quinta-feira, 19 de maio de 2011

ABRE aspas




E por falar em DISCERNIMENTO...


Escolhas

Inúmeras situações no mundo resultam das escolhas que fazemos.
Haverá momentos em que te sentirás impelido ao revide. Entretanto, poderás escolher a concórdia.
Não faltarão instantes em que o desânimo tentará te envolver. Todavia, poderás optar pela perseverança.
É possível, ainda, que as sombras te convidem para o futuro incerto. Porém, serás livre para seguir a luz.
Pensa nisso e, da próxima vez em que a vida te colocar em situações difíceis, lembra-te de que felicidade ou aflição resultará da escolha que fizer.


Fonte: Texto postado por Cida, comentário na postagem em SINTONIA, maio.

domingo, 8 de maio de 2011

em SINTONIA




 
Se você trabalhou com o Anjo da INTEGRIDADE durante o mês de abril, dê-se alguns minutos para deixá-lo ir com gratidão, antes de dar as boas vindas ao Anjo do DISCERNIMENTO na sua vida, no mês de Maio.

Utilize sua visão aguçada para fazer distinções claras e escolhas sábias. Siga adiante com confiança em sua bússola interior.

Discernimento é o reconhecimento do impulso da alma em nossas vidas. Fortalece nossa habilidade intuitiva de agir com uma consciência do poder que está escondido no momento presente. O discernimento exige que façamos, a intervalos regulares, um inventário pessoal dos nossos valores, crenças, ações passadas, esperanças presentes e sonhos futuros.

Vivemos nossas vidas com base naquilo em que acreditamos. Nossas ações são precedidas por nossas crenças. O reflexo da nossa consciência volta para nós. Aquilo que procuramos, encontraremos. Então, a questão é: “de onde vêm nossas crenças?”. Eu diria que a resposta mais forte é “daquilo que os outros nos disseram”. Temos muitos poucos pensamentos originais que encerram as nossas crenças. Como indivíduos, somos definidos por deduções que se formaram por gerações.

Mas, e se formos mais do que isso? E se formos seres poderosos a ponto de acordar de uma longa noite de sonhos? E se estivermos no ponto de inversão da iluminação, à beira da descoberta do profundo conhecimento de nossa origem e, com ela, a capacidade de trazer a paz global? Como seria sentir nossa conexão com o todo e escolher nossas ações com base nessa realidade? Quão diferente você seria hoje? Como esta constatação influenciaria suas ações?

Nossas oportunidades e nossos desafios coletivos são os de entregar a ilusão que nos mantêm em casulos de deduções e limitações e, como a lagarta, dissolvermos nossos seres imaginais e redefinirmos o mundo visualizando um futuro que recebe a borboleta de braços abertos.

Esperamos que o Anjo do Discernimento ilumine sua vida. Que seu coração e sua mente discirnam e abracem a presença da sua alma.

Kathy Tyler & Joy Drake
©2011 InnerLinks Angel® Cards is a registered trademark of InnerLinks - www.innerlinks.com www.livrodosanjos.com.br

Wih love
Olga Cristina Amato Balian
TAYGETA EDITORA & CONSULTORES
INTERNATIONAL SUBSIDIARIES INNERLKINKS BRAZIL
Tel: 11 – 5572-9477 11 ou Fax: 11 – 5539-5252
Sites: www.taygeta.com.br ou www.fcpconsultores.com.br

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Mãe








MÃE
Mário Quintana

Mãe... são três letras apenas
As desse nome bendito:
Também o céu tem três letras
E nelas cabe o infinito.

Para louvar a nossa mãe,
Todo bem que se disser
Nunca há de ser tão grande
Como o bem que ela nos quer.

Palavra tão pequenina,
Bem sabem os lábios meus
Que és do tamanho do CÉU
E apenas menor que Deus!

Poema compartilhado por Maria Luiza no encontro Conversa ao Final da Tarde, maio.

terça-feira, 3 de maio de 2011

abre ASPAS

Para começar bem o mês de maio e viver bem‏
por Robson e Lucia Santarém


"Narciso era um belo rapaz que todos os dias ia contemplar sua beleza num lago. Daí vem o termo narcisismo, usado pela Psicanálise para se referir ao amor próprio e à auto-apreciação que, em doses moderadas, mantém nossa saúde física e mental. Contribui para a auto-apreciação o reconhecimento no meio em que se vive. A necessidade de reconhecimento é, assim, universal, e no mundo do trabalho não poderia ser diferente.

C. Dejours, autor especializado em psicologia do trabalho, diz que todos nós, enquanto trabalhadores, necessitamos de reconhecimento por aquilo que fazemos. O reconhecimento reforça a percepção de ser útil, a sensação de estar produzindo algo belo e/ou bom para o mundo em que se vive, e, além de tudo, de estar contribuindo para o crescimento da sociedade ou para a manutenção da vida, uma vez que essa não existiria sem o trabalho humano.

(...)Por isso o reconhecimento no trabalho é fundamental, seja pelo outro, seja por si mesmo. O reconhecimento pelo “outro” se manifesta geralmente por meio de elogios, benefícios, homenagens, ou mesmo na melhoria das relações e condições de trabalho, promovidas seja pela chefia direta, pelo empregador, pela instituição, pelos clientes, pelos usuários ou mesmo pelos colegas Isso, porém, não é suficiente. É preciso também que nos reconheçamos no que fazemos!

(...)Voltando à lenda de Narciso, sabe-se que um dia, de tão fascinado por si mesmo, o belo rapaz caiu dentro do lago e morreu afogado. No lugar onde caiu, nasceu uma flor, a que deram o seu nome, Narciso. Quando isso aconteceu vieram as deusas do bosque e perceberam que o lago havia se transformado, de um lago de água doce, num cântaro de lágrimas salgadas.

- Por que você chora? - perguntaram as deusas
- Choro por Narciso - respondeu o lago
- Ah, não nos espanta que você chore por Narciso. Afinal de contas, apesar de todas nós sempre corrermos atrás dele pelo bosque, você era o único que tinha a oportunidade de contemplar de perto sua beleza.
- Mas Narciso era belo? perguntou o lago.
- Quem mais do que você poderia saber disso? - responderam surpresas as deusas. - Afinal de contas, era em suas margens que ele se debruçava todos os dias.
O lago ficou algum tempo quieto e por fim disse:
- Eu choro por Narciso, mas jamais havia percebido que Narciso era belo. Choro por Narciso porque, todas as vezes que ele se deitava sobre minhas próprias margens eu podia ver, no fundo dos seus olhos, minha própria beleza refletida.

Descobre-se assim que o lago não chorava exatamente por Narciso, mas por sentir falta de um certo olhar ou modo de olhar de Narciso sobre ele. E isso pode nos fazer pensar sobre o modo com que olhamos as pessoas ao nosso redor, as situações que nos cercam, e também o nosso trabalho. Será que um dia esse trabalho que fazemos poderá “chorar” sentindo a nossa falta? Será que o meu trabalho sentirá a falta de um certo olhar e de certa dedicação que lanço sobre ele no dia-a-dia? O que posso fazer para admirar mais aquilo que faço em meio aos embates do cotidiano, e poder, assim, também me olhar com mais admiração? Essas são algumas das perguntas que podem estar por trás das lutas dos trabalhadores, não exatamente das lutas sindicais, mas da luta de cada trabalhador consigo mesmo, no cotidiano laboral e no interior de cada atividade realizada."
(Texto de Ana Paula Prange - Psicóloga do Trabalho - Serviço de Saúde do Trabalhador - DSMS/VDGT – Farmanguinhos)

Com essa mensagem desejamos a todos vocês muitas bênçãos no trabalho, que o valor e mérito de cada um seja reconhecido, assim como precisamos expressar o nosso reconhecimento para com os nossos colegas, amigos, líderes, liderados e familiares. Está provado que o elogio e o reconhecimento fazem bem à alma, à equipe, à organização, à família!!! Desejamos também FELIZ DIA DAS MÃES, com paz e alegria para todas as mães!

 
· O texto completo da Ana Paula Prange – consultora associada da Anima - poderá ser lido em nosso blog HTTP:///blogdaanimaconsultoria.blogspot.com .