domingo, 30 de maio de 2010

O ar que respiramos

PRANAYAM


O nariz tem um lado direito e um esquerdo; usamos ambos para inspirar e expirar.
Na verdade eles são diferentes: o direito representa o Sol, o esquerdo, a Lua.

Durante uma dor de cabeça, tente fechar a narina direita e usar a esquerda para respirar, dentro de cerca de cinco minutos a dor de cabeça deverá ir embora.
Se você se sente cansado, faço o contrário: feche a narina esquerda e respire pela direita. Num instante sentirá sua mente aliviada.

O lado direito pertence ao "quente" (Sol) por isso esquenta rapidamente, o esquerdo pertence ao "frio"(Lua).
A maior parte das mulheres repira com o lado esquerdo do nariz, então se resfriam rapidamente.
A maioria dos homens respira pela narina direita e isso os influencia.

Repare no momento em que acorda, qual dos lados respira melhor, ou mais? Direito ou esquerdo?
Se for o esquerdo você se sentirá cansado.
Então, feche a narina esquerda e use a direita para respirar, você se sentirá aliviado rapidamente.
Isso pode e deve ser ensinado às crianças, mas é mais efetivo quando praticado por adultos.

Fonte: e-mail enviado por Xênia D´Ávila.

terça-feira, 11 de maio de 2010

em SINTONIA


Anjo© da Simplicidade para Maio

Se você trabalhou com o Anjo da SABEDORIA durante o mês de abril, dê-se alguns minutos para deixá-lo ir com gratidão, antes de dar as boas vindas ao Anjo da SIMPLICIDADE à sua vida para o mês de maio.

Mensagem de Inspiração
Simplesmente seja você mesmo. Olhe para além da fanfarra e do drama para aquilo que é permanente. Tome tempo para esclarecer o que é importante para você e deixe que aquilo que não é essencial seja descartado.
A simplicidade requer tenacidade de espírito e um controle claro e direcionado da presença de nossa alma. Por tempo demasiado nossas mentes são preenchidas com as complexidades das circunstâncias externas. Viver com simplicidade, não necessariamente de modo simples, significa remover o ruído das exigências que nos cercam.
A vida em si é a expressão da natureza divina e, uma apreciação desse fato alinha nossa consciência com aquilo que é essencial e duradouro. Um momento de conexão direta ajuda a romper a incerteza e constrói um bem-estar interno. Viver sem fanfarra abre as portas para aquilo que realmente é importante.
Sermos simplesmente nós mesmos pode ser uma tarefa difícil. Isto nos leva a considerar profundamente a questão de quem realmente somos e então nos abrirmos para indagar quem todos os outros são. Requer que disponibilizemos aquilo que fazemos a serviço de quem somos e simplesmente iluminarmos nossas experiências diárias com a luz da verdade.
Que as correntes de luz entrem em sua vida nas asas da Simplicidade, este mês.Calorosamente,
Kathy

©2007 InnerLinks Angel® Cards is a registered trademark of InnerLinks
Abs
Olga Cristina Amato Balian

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Às mães com carinho!


Dicas de Clarice Lispector


"Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora,
pois tudo passa a acontecer dentro de nós."
"Renda-se, como eu me rendi.
Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei.
Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento."
"Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho."
"Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania.
Depende de quando e como você me vê passar."

Clarice Lispector

Fonte: PENSADOR.INFO

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Sabe quanto vales?

Encontrei, nessas leituras rápidas e inesperadas que fazemos, um texto interessante e super valioso pra nossa missão de pais, avós, educadores...
Está diretamente relacionado ao papel da mãe e como nosso dia está chegando...

As dicas dizem respeito à educação financeira de nossas crianças e mais do que isso servirão para nortear a vida como um todo.
Se achar que o texto é longo, vá direto para HERANÇAS DA EDUCAÇÃO.
O texto original poderá ser lido no link postado ao final deste. Vale ir lá.

"No próximo domingo, será comemorado o Dia das Mães. Muito mais do que uma data para comemorar, essa pode ser uma data de reflexão: você tem sido uma boa mãe no que diz respeito à educação financeira de seu filho?

O papel das mães na educação financeira dos filhos mudou com o tempo, à medida que elas passaram a ocupar mais vagas no mercado de trabalho e nos bancos universitários. Mas esse fato não deve fazer com que elas disseminem algumas práticas negativas ao ensinar os filhos a lidar com o dinheiro.

Uma delas é a "mania de compensar", resultante de uma ausência maior das mulheres no dia-a-dia das crianças, que faz com que elas queiram compensá-las com mimos e presentes, o que nem sempre é saudável quando o assunto é a educação financeira. Na verdade, pode-se estar criando uma pessoa dependente de coisas materiais e com problemas com o dinheiro.

Para o autor do livro "Você sabe lidar com o seu dinheiro? Da infância à velhice" (Primavera Editorial), Luciano Gissi, em vez de compensar a falta de tempo com presentes, as mães devem lembrar que a missão dos pais é educar. "Uma boa educação é composta por carinho, orientação e também algumas formas de repreensão. Em educação financeira, não é diferente".


Heranças da educação

Outro vício negativo é o das mães que, na tentativa de criar filhos menos materialistas, associam o dinheiro a algo sujo, um item que não traz felicidade.
"Esse tipo de mensagem pode resultar em adultos que têm medo ou raiva do dinheiro, ou seja, indivíduos que enxergam no dinheiro somente a razão para guerras e conflitos. São pessoas incapazes de associar o dinheiro ao bem-estar e à tranquilidade", afirmou Ma
rília Cardoso, também autora do livro.

Vale lembrar que a forma como os pais lidam com o dinheiro afeta as crianças. Isso porque não são somente as palavras que são assimiladas, mas também os gestos. Por isso, confira abaixo dicas básicas dos autores para as mães educarem financeiramente seus filhos:


Coloque a criança em contato com o dinheiro, mas reforce que é preciso conservar cédulas e moedas, pois o governo gasta para repô-las;
Ensine que algumas moedas valem mais que outras, mas que todas têm o seu valor;
Distinga coisas caras de baratas;
Diferencie querer de precisar;
Ensine a criança a fazer escolhas, para aprender o conceito de prioridade;
Leve seu filho ao supermercado, mas para ensinar planejamento e não para se render aos pedidos dele;
Presenteie em datas especiais ou então pode criar o hábito na criança de pedir qualquer coisa a qualquer momento;
A educação financeira deve vir de toda a família, por isso, converse com avós e tios;
Não associe recompensas ao fato de a criança ajudar nas tarefas domésticas ou ir bem na escola, o que é obrigação;
Reforce que muitas coisas que fazemos não têm retorno material."


Daqui fico na minha torcida pessoal para que tenha sido positiva a minha atuação com meus filhos. E encontro uma boa saída se não fiz, corretamente, o "dever de casa": dedico a eles esta postagem e a possibilidade de vivenciarem a experiência da educação financeira com suas turminhas.

Sem a sombra da dúvida, a minha mãe foi bem sábia! Fica a minha gratidão!
Bjs pra todas as mães, as mães das mães, das mães...
Clarisse Maria

Fonte: Dia das mães - Reflita sobre o papel delas na educação financeira dos filhos